A presidente da Associação de Aposentados, Reformados e Pensionistas (Apre!), Maria do Rosário Gama, considera que os cortes de pensões são «imorais» e violam o princípio constitucional da confiança.

A responsável falava aos jornalistas após ter sido recebida pelo secretário de Estado da Administração Pública, Hélder Rosalino, juntamente com outras associações de reformados.

«Conversámos sobre tudo aquilo que nos aflige e com que não concordamos, nomeadamente sobre o modo discriminatório como estamos a ser tratados», disse Maria do Carmo Gama, citada pela Lusa.

O secretário de Estado, por sua vez, diz que compreende «mas não arreda daí», acrescentou a presidente da Apre!.

Durante a tarde, as associações irão reunir-se com o Provedor de Justiça, confiando que caso o Governo mantenha a intenção de cortar nas pensões dos reformados, o Tribunal Constitucional se pronuncie na proteção dos seus direitos.

Na segunda-feira, as associações vão ser recebidas pelo Presidente da Republica, Cavaco Silva.

O Governo concluiu já as negociações relativas à convergência do sistema de pensões, que inclui cortes no valor das pensões em torno dos 10%, estimando garantir poupanças à Caixa Geral de Aposentações (CGA) em torno dos 700 milhões de euros.

O projeto de diploma encontra-se já na Assembleia da República para discussão e votação.