É oficial. No ano que vem vai ser preciso trabalhar mais um mês para ter acesso à reforma sem penalizações. A portaria que estabelece a idade da reforma em 66 anos e 5 meses foi publicada esta quinta-feira em Diário da República.

Esta subida em mais um mês em 2019, face aos atuais 66 anos e quatro meses de idade, em vigor em 2018, reflete a esperança média de vida aos 65 anos entre o ano 2000 e o ano anterior ao do início da pensão, calculada anualmente pelo Instituto Nacional de Estatística, e o respetivo fator de sustentabilidade.

Em outubro de 2013, por decisão do Governo de coligação PSD/ CDS-PP, foi aprovada a alteração à Lei de Bases da Segurança Social que permite que a idade da reforma vá aumentando à medida que cresce a esperança média de vida.

O Executivo entendia, na ocasião, que a alteração poderia implicar um aumento da idade da reforma para os 67 ou 68 anos nos anos seguintes, porque tudo dependeria da evolução da esperança média de vida.

No final do ano passado, um relatório da OCDE - Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico- estimava para que os jovens de hoje, em Portugal, só se reformem aos 68 anos, com 48 de descontos.