O novo ciclo de negociações entre a Grécia e os credores internacionais chegou ao fim na segunda-feira à noite, sem um acordo que permita concluir a audição sobre as reformas do país, comunicou o Governo grego.

«Ainda não há acordo», admitiu o ministro das Finanças grego, Yannis Stournaras, no final das negociações com o Banco Central Europeu, a União Europeia e o Fundo Monetário Internacional, que hoje deixam o país.

As negociações, em curso desde setembro, já foram interrompidas várias vezes.

À saída de um encontro com o primeiro-ministro grego, Antonis Samaras, o responsável pelas Finanças admitiu estar pessimista acerca das hipóteses de que uma nova tranche na ordem dos mil milhões de euros venha a ser desbloqueada durante a reunião dos ministros das Finanças da zona euro marcada para hoje, em Bruxelas.

Uma das principais razões de bloqueio diz respeito ao futuro da indústria de defesa grega, largamente endividada, uma peça chave para que os credores internacionais validem mais uma leva de empréstimos, no quadro do segundo plano de assistência externa à Grécia.