A chanceler alemã, Angela Merkel, considera que os pacotes de reformas estruturais propostos por França e pela Itália para sair da crise «não é suficiente», numa entrevista a um jornal alemão hoje publicada, nota a Lusa.

Em entrevista ao Welt am Sonntag, Angela Merkel apoia parcialmente o presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, que recentemente decidiu que não vai sancionar os países que não cumpram os limites do défice.

«A Comissão deixou claro que aquilo que (França e Itália) propuseram até ao momento não é suficiente. Estou de acordo com isso», reiterou Merkel.

A chanceler alemã acredita que Paris e Roma devem introduzir mais ajustes para reduzir o défice público e lançar novas reformas estruturais para apoiar as suas economias.

Merkel destacou ainda que Bruxelas traçou um caminho em que exige que França e Itália tomem novas medidas em troca de alguma flexibilidade orçamental, algo que, para a chanceler alemã, é «justificável» porque «ambos os países se encontram num processo de reforma».