Todos anos há, em média, 54 funcionários públicos que se aposentam compulsivamente. Só no ano passado foram 46 funcionários a quem a tutela decidiu cortar o vínculo público, escreve o Correio de Manhã.

Os números da Caixa Geral de Aposentações mostram que desde

2008 cerca de 323 funcionários públicos viram os seus processos disciplinares resultar na passagem para a reforma compulsiva. Em 2012 foram 29 os visados, mas o número recorde pertence a 2008, ano em que foram expulsos 119 funcionários públicos.

A aposentação compulsiva é das penas mais pesadas que podem ser aplicadas a um funcionário público, e corresponde ao afastamento do funcionário de todas as funções que exercia no Estado.