O Banco Central Europeu garante estar pronto para imprimir moeda e fornecer liquidez em divisa estrangeira aos países europeus, se os efeitos do Brexit tornarem necessárias essas medidas pela perturbação que podem causar nos mercados. A julgar pela reação de pânico de hoje, os próximos dias poderão ser críticos para as bolsas e mercados cambial e da dívida.

A instituição liderada por Mario Draghi diz, em comunicado, estar a acompanhar de perto os mercados financeiros, estando, de resto, em estreito contacto com outros bancos centrais.

"O BCE está pronto para fornecer liquidez adicional, se necessário, em euros e moedas estrangeiras. O BCE continuará a cumprir as suas responsabilidades para assegurar a estabilidade dos preços e a estabilidade financeira na zona euro"
 
Logo pela manhã, também o Banco de Inglaterra deixou expresso que "vai tomar todas as medidas necessárias para cumprir com a sua responsabilidade em termos de estabilidade monetária e financeira”.

Quanto ao impacto que o Brexit pode ter noutras economias, designadamente a grega, já que é atualmente o caso mais importante, o BCE acredita que ele será limitado.

A onda de choque provocada pela decisão dos britânicos (51,9% votaram a favor da saída e 48,1% contra) é facilmente perceptível pelo facto de o Reino Unido ser a segunda maior economia europeia, com um peso de 15% no PIB conjunto dos 28.