A fabricante de aviões Bombardier anunciou esta quinta-feira que vai cortar 1.750 postos de trabalho, numa nova “maré” de despedimentos na divisão aeronáutica do grupo canadense, que enfrenta dificuldades há vários meses.

A empresa justificou que a reestruturação foi motivada pela queda dos pedidos de aviões de negócio da série Global, na sequência da situação económica e dos desafios geopolíticos de certos mercados como a América Latina, China e Rússia.

O grupo vai ainda reduzir a produção desse tipo de aviões e pretende despedir mil trabalhadores na região de Montreal, 480 em Toronto e outros 280 em Belfast.

A reestruturação deverá arrancar ainda este ano e seguir até ao primeiro trimestre de 2016.