A dívida da TAP vai ser reestruturada até o processo de privatização estar concluído, no sentido de aumentar o prazo de pagamento dos empréstimos, apurou o Jornal de Negócios.

Uma das preocupações dos potenciais candidatos à compra da empresa foi a elevada percentagem de dívida bancária da TAP com uma maturidade até um ano, que é de cerca de 80% do total.

Segundo o relatório e contas do gruo, no final de 2014 a dívida bancária da TAP era de 646,7 milhões de euros, dos quais 515,9 milhões com prazo de pagamento a menos de um ano.

Outra das preocupações manifestadas pelos potenciais investidores foi a possibilidade de os financiadores virem a acionar as cláusulas de mudança de controlo acionista que estão previstas nos contratos. 

​Esta quarta-feira, Pedro Passos Coelho disse que ainda acredita na privatização da TAP, mas que os custos da greve dos pilotos vão ter impacto no negócio. As propostas de compra terão de ser entregues pelos interessados até esta sexta-feira, às 17:00.