O Governo argentino vai pedir esta quarta-feira ao Bank of New York Mellon e ao Citibank que distribuam os fundos que depositou para os credores de dívida reestruturada e que foram bloqueados por ordem da justiça norte-americana, informaram fontes oficiais.

Em conferência de imprensa, o chefe de gabinete do Governo argentino, Jorge Capitanich, informou que serão apresentados requerimentos às entidades bancárias «para garantir que o depósito destinado aos detentores de títulos chegue efetivamente a eles».

«Há um contrato que deve ser executado. A Argentina cumpre rigorosamente cada uma das cláusulas do contrato», afirmou.

O juiz norte-americano Thomas Griesa bloqueou o pagamento aos credores que aceitaram reestruturações de dívida argentina em 2005 e 2010 enquanto Buenos Aires não pagar cerca de 1.500 milhões de dólares a fundos de investimento que não aceitaram a reestruturação e exigem cobrar integralmente os títulos de dívida em atraso desde 2001.

O Governo argentino argumenta que não pode cumprir a ordem do juiz Griesa porque isso desencadearia uma série de pedidos de detentores de dívida reestruturada, já que uma cláusula do contrato permite-lhes reclamar se a Argentina melhorar a sua oferta a outros credores antes de 2015.