A promessa das Finanças era de que quem entregasse o IRS pela via automática receberia em 15 dias e, de facto, há já muitos portugueses que têm já reembolso de IRS na sua conta bancária. Só nas primeiras duas semanas desde o início do prazo, que decorre de 1 de abril a 31 de maio, mais de 130 mil contribuintes já tiveram o acerto de contas a seu favor. 

"Os primeiros três mil reembolsos relativos ao IRS automático já foram processados no dia 11, tendo chegado à conta bancária dos contribuintes a partir da última quarta-feira. Treze dias depois do início da campanha, já 130 mil reembolsos haviam sido processados", indica o Ministério das Finanças, numa nota enviada à comunicação social. 

Verifica-se, pois, uma redução do prazo médio de reembolso face às campanhas de anos anteriores, que foi de 36 dias, em 2016, e de 30 dias, em 2015.

As Finanças indica, também, que até segunda-feira, dia 17 de abril,  foram entregues 1,7 milhões de declarações. Dessas, cerca de 376 mil correspondem a declarações submetidas através do IRS automático.


O número de declarações entregues nestes primeiros 17 dias da Campanha IRS 2016 supera em 10% o número de entregas registadas no mesmo período do ano passado".


A tutela atribui esta rapidez à "facilidade de entrega do IRS automático" e, também, à aplicação de um prazo único de entrega, até 31 de maio, independentemente das categorias dos rendimentos dos contribuintes.

Mantém-se a expectativa de que o prazo médio de reembolso seja inferior ao do ano passado, "quer para os contribuintes ao abrigo do IRS automático, quer para os contribuintes que ainda entregam a declaração nos termos habituais".

Veja também: