O Governo quer reembolsar ao Fundo Monetário Internacional 14 mil milhões de euros no prazo de dois anos e meio, apurou a TVI. O valor exato das tranches ainda não está decidido, já que serão decididas de acordo com as condições de mercado.
 
O plano do executivo de Passos Coelho já foi entregue às instituições europeias. O objetivo passa por devolver bastante mais cedo mais de metade do empréstimo do FMI a Portugal.
 
Recorde-se que os credores internacionais emprestaram a Portugal 75.400 milhões de euros, sendo que 25 mil milhões de euros vieram do FMI.
 
O acordo inicial era o de Portugal começar a pagar este ano e terminar em 2024, a uma taxa média de juro de 3,7%.
 
Ora no mercado secundário as Obrigações do Tesouro com maturidade a 10 anos estão com juros de cerca de 2,5%, o que significa que fica mais barato a Portugal emitir dívida para se financiar e pagar o empréstimo que tem juros mais altos.
 
Portugal tem agora que pedir autorização aos credores, que irão avaliar o pedido na próxima semana.

 A Irlanda foi a primeira a conseguir o pagamento antecipado, tendo reembolsado o FMI em nove mil milhões de euros em dezembro.
 
Entretanto já este mês o  governo irlandês anunciou o pagamento antecipado de 3,5 mil milhões de euros ao Fundo Monetário Internacional.