Após suspeitas de manipulação de emissões de gases na Alemanha, a Daimler anunciou ter alargado a chamada às oficinas a mais de três milhões de veículos a diesel da marca Mercedes-Benz no resto da Europa.

O debate público sobre motores diesel tem criado incertezas - especialmente entre os nossos clientes. Daí termos decidido medidas adicionais para assegurar e fortalecer a confiança nos condutores dos nossos carros a gasóleo", refere o CEO da construtora alemã, Dieter Zetsche, no comunicado divulgado pela companhia. 

Os motores em causa são os que têm de cumprir as regulações europeias de emissões de gases EU5, para veículos construídos após 1999, e EU6, para os criados após setembro de 2015. Segundo a marca, as medidas de melhoramento "serão tomadas em cooperação com as autoridades de regulação alemãs".

A marca refere que, desde março, tem vindo a oferecer atualizações a carros vendidos na Alemanha, destinadas a alguns veículos compactos e utilitários para atualização de um dispositivo para redução das emissões poluentes. Agora, “para melhorar o nível de emissões de mais modelos, a Daimler decidiu alargar a sua ação de chamada voluntária (às oficinas) abrangendo mais de três milhões de veículos Mercedes-Benz”, indicou a Daimler em comunicado.

A companhia está a investir cerca de 220 milhões de euros. As revisões não terão custos para os clientes. A operação irá começar nas próximas semanas. Devido ao grande número de automóveis irá prolongar-se por uma largo período de tempo", refere o comunicado da Daimler.

A marca alemã conclui que "está a dar um contributo significativo para a redução das emissões de óxidos de nitrogénio nos veículos a diesel nas cidades".