Para o ano de 2015, o Orçamento do Estado indica um novo recorde de impostos cobrados. A receita fiscal vai crescer 4,7% em comparação com 2014. O valor líquido, que se espera obter, é de 38 mil milhões de euros. OU seja, os impostos crescem três vezes mais que a economia, cuja previsão aponta para subida de 1,5%.

No documento apresentado, esta quarta-feira, pelo Governo pode ler-se no capítulo da receita fiscal que «a previsão da receita fiscal líquida do Estado para 2015 ascende a 38.873,9 milhões de euros, o que representa um crescimento de 4,7% face à atual estimativa de execução orçamental em 2014».

Para esta estimativa o executivo considerou «a evolução esperada dos principais indicadores macroeconómicos, o efeito do reforço da política de combate à fraude e à evasão fiscais, bem como as alterações legislativas propostas em sede de Orçamento do Estado».

Considerando que a previsão do crescimento económico do Governo, também presente no OE2015, se mantém «nos 1,5%, conforme previsto no Documento de Estratégia Orçamental (DEO) apresentado em abril», pode concluir-se que os impostos crescem três vezes mais que o PIB nacional.

Em 2014, quando já tinha sido batido um recorde na cobrança de impostos, a receita fiscal tinha ficado pelos 37 mil milhões de euros.