A agência de notação financeira Moody's anunciou na última noite uma reavaliação positiva da perspetiva sobre a dívida dos EUA, de «negativa» para «estável», confirmando a notação de topo de Aaa.

«A dívida do Estado federal está no bom caminho para preencher os critérios estabelecidos em agosto de 2011, para justificar uma perspetiva estável, retirando a pressão sobre uma possível descida da notação», justificou a Moody's, num comunicado.

A perspetiva («Outlook«) sobre a dívida soberana dos EUA baixou no verão de 2011, quando o Congresso aprovou um plano para reduzir o défice orçamental norte-americano.

Passados dois anos, a agência de «rating» decidiu premiar a redução do défice, superior ao previsto, mas também a retoma da economia norte-americana.

«O crescimento da economia americana, ainda que moderado, é mais rápido do que o de outros países também classificados Aaa», sublinhou o economista da Moody's Steve Hess, apontando como exemplos o Reino Unido, a França e a Alemanha.

Ao contrário da Moody's, a agência Standard&Poor's decidiu manter o «rating» do país em AA+ em junho, enquanto a Fitch confirmou, no final do mês passado, o triplo A dos EUA, mantendo a perspetiva negativa do país devido ao «elevado nível» da dívida pública.