A Estradas de Portugal (EP) registou um lucro de 15 milhões de euros em 2013, abaixo dos 37 milhões de euros observados em 2012, anunciou esta quarta-feira o presidente da empresa, António Ramalho.

Na conferência de apresentação dos resultados de 2013, a decorrer na sede da empresa, em Almada, o presidente da EP salientou o lucro «marginalmente positivo» de 15 milhões de euros obtido pela empresa, afirmando ser um «valor significativamente inferior ao do ano anterior».

Em 2013, a EP registou um EBITDA (resultados antes de juros, impostos, depreciação e amortização) de 503 milhões de euros.

Durante a apresentação dos resultados, António Ramalho sublinhou que «o fardo que a EP representa para o contribuinte português reduziu-se de 408 milhões de euros para 275 milhões de euros», referindo que, entre 2009 e 2013, «reduziu-se em 54% a contribuição do contribuinte».

«A EP conseguiu o seu melhor ano de sempre, reduzindo a despesa a cargo dos contribuintes para 275 milhões de euros», destacou.

No ano passado, a EP obteve uma receita líquida de 494 milhões de euros referentes à Contribuição de Serviço Rodoviário (CSR), paga pelos utilizadores em função do uso de toda a rede rodoviária nacional.

Este valor compara com os 504 milhões de euros em 2012 e com os 543 milhões de euros de 2011.

A receita de portagens nas sete antigas Scut, nas quatro subconcessões, nas vias diretamente exploradas pela EP e nas concessões do Estado resultou num encaixe de 290 milhões de euros em 2013, um acréscimo de 13% em relação a 2012.

Em 2013, o endividamento líquido da EP subiu 266 milhões de euros, totalizando 3.171 milhões de euros, «o que compara favoravelmente ao acréscimo verificado em 2012 (274 milhões de euros)», segundo a empresa.

No que respeita aos custos, a EP registou, em 2013, um aumento de 4% com os custos com pessoal, «que se deveu ao aumento significativo dos encargos sobre as remunerações (CGA)», justifica a empresa.

A EP encerrou 2013 com 1.083 colaboradores, uma queda de 7% em relação aos 1.170 trabalhadores do ano anterior.