O economista chefe do Banco Central Europeu, Peter Praet, alertou esta quarta-feira para os impactos negativos da queda do preço do petróleo, instando a instituição a avançar com um programa de compra de dívida soberana (quantitative easing).

Em entrevista ao jornal alemão Boersen-Zeitung, citada pela agência Bloomberg, Peter Praet afirma que a zona euro pode assistir a períodos de «inflação negativa durante uma parte substancial de 2015», essencialmente devido à queda dos preços do petróleo e que o Conselho de Governadores do BCE “não pode apenas ficar a olhar” para o problema sem tomar medidas.

Para Peter Praet, o BCE «não deve ficar paralisado pelo facto de a única opção ser a compra de obrigações soberanas», considerando que elas são «o único tipo de ativo que tem um volume de mercado significativo».

«As expectativas em relação à inflação são extremamente frágeis» e «o risco de efeitos secundários parece ser superior hoje ao que foi no passado», disse o economista chefe do BCE.

Peter Praet abordou ainda a situação política da Grécia, onde o partido anti-austeridade Syriza pode vencer as próximas eleições, marcadas para dia 25 de janeiro.

«O fortalecimento do populismo deve ser uma chamada de atenção. Os partidos populistas em alguns países prometem soluções rápidas, mas apenas oferecem receitas para o desastre», considerou o economista-chefe do BCE.