O grupo francês Altice não parece disposto a deixar Portugal e considera a operação portuguesa uma das suas maiores apostas, apesar dos tempos agitados que vive e que exigem redução de dívida, por exemplo, pela via dos desinvestimentos.

“Portugal é hoje uma das nossas maiores apostas no mundo. O nosso compromisso com o país, para com a economia e para com a inovação é continuar a construir um grupo Altice forte, sólido, moderno e capaz. É este futuro que todos os dias ambicionamos e para o qual todos os dias trabalhamos”, disse o fundador, Patrick Drahi, numa mensagem enviada hoje aos trabalhadores da empresa portuguesa de comunicações.

Drahi, recorda que estão em Portugal desde há mais de dois anos e ele, e a sua equipa, dizem-se “orgulhosos do trabalho efetuado”, mas sabem que podem “ir mais longe.”

“Para mim, bem como para o Armando, Portugal está num lugar central nas nossas histórias pessoais, nas nossas vidas profissionais e para o futuro deste nosso grupo (…) Contem então com o Armando, com o Alexandre, com a Cláudia, com a administração da Portugal Telecom e comigo, para vos acompanhar na prossecução do trabalho indispensável que todos os dias vocês dedicam à PT e a Portugal”, garante.

Patrick Drahi justifica ainda a comunicação, pelas mudanças na administração da PT, hoje anunciadas, e pelas perturbações que o grupo tem sofrido: “Dirijo-me a vós diretamente, para vos dizer que as perturbações bolsistas nas ações da Altice não nos devem afastar do nosso objetivo quotidiano e comum: servir os nossos clientes. Bem pelo contrário, as atividades diárias para melhor servir os nossos clientes devem ser a primeira das prioridades, particularmente em Portugal.”

Estamos preparados, perfeitamente aptos e, mais do que nunca, determinados a enfrentar este período irracional”, assegura o responsável.

E reforça: “quero que tenham presente que apesar da queda da cotação na bolsa, nós beneficiamos hoje de uma clara estabilidade financeira. A nossa dívida está garantida a 85% com taxa fixa e o primeiro reembolso relevante, não acontecerá até 2022.”

Já sobre a nomeação de Alexandre Fonseca para presidente executivo da PT, Drahi diz que “simboliza a concretização da nossa principal missão para com os clientes e com o país: servi-los sempre melhor e oferecer-lhes a melhor experiência de serviço. Estas são para nós prioridades absolutas.”

Atualmente a Altice está em processo de compra da Media Capital, detentora da TVI, e já fez saber que, apesar de excluir aquisições e admitir vender ativos para reduzir a dívida, o negócio em Portugal não está em causa. Um processo que, para já, está nas mãos da Autoridade da Concorrência numa altura em que os deputados da comissão de Cultura, Comunicação, Juventude e Desporto aprovaram por unanimidade a audição, com caráter de urgência, da Entidade Reguladora para a Comunicação Social (ERC) sobre a venda da Media Capital ao grupo francês.