A operadora brasileira Oi, que detém a PT Portugal, afirmou esta sexta-feira que a venda deste ativo «é o melhor para todos os seus acionistas», incluindo a PT SGPS, e adianta que a empresa «sai fortalecida» face à situação atual.

Em comunicado, nota a Lusa, a Oi considera que «a venda da PT Portugal é o melhor para todos os seus acionistas diretos e indiretos, inclusive para a PT SGPS, cujo principal ativo consiste no investimento na própria Oi», porque com a venda a operadora «também reduzirá alavancagem e ganhará flexibilidade financeira e capacidade de investimento».

A assembleia-geral de acionistas da PT SGPS para votar a venda da PT Portugal à multinacional Altice está agendada para 22 de janeiro.

A alienação da PT Portugal, que detém os ativos Meo, Sapo, entre outros, também permite à Oi poder «participar no esperado processo de consolidação no Brasil, que tem potencial de captura de sinergias materiais, ganhos de escala e competitividade».

A Oi considera que a reunião magna da PT SGPS «é a melhor oportunidade para assegurar o futuro sustentável da PT Portugal e da Oi», acrescentando que «esta decisão, que gera mais valor para todos os acionistas, vai beneficiar a empresa portuguesa, resultando numa companhia com baixa alavancagem, preparada para enfrentar os desafios financeiros e operacionais no futuro».

Refere que a PT Portugal «continuará sendo uma empresa concentrada em Portugal, prestando serviço aos portugueses, investindo, recolhendo impostos e gerando empregos no país. Ou seja, a venda proposta para votação dos acionistas vai resultar somente na mudança de controlo da companhia, mas a empresa em si não muda», pelo contrário, «sai fortalecida frente à situação atual», acrescenta.