Tal como já era esperado as ondas de choque do Brexit continuam a fazer-se sentir.

E o mercado de ações é sempre um dos primeiros a reagir. Por isso mesmo esta segunda-feira a Europa voltou ao vermelho, depois de uma abertura em ligeira alta.

O PSI20 não foi exceção desceu 2,34% para 4.260,13 pontos. Numa sessão em que atingiu minímios de 30 anos. Mas no resto da Europa o cenário não foi melhor

A banca, que já vive dias difíceis, ficou ainda mais insegura porque, tal como os analistas previam, com o Brexit treme também um dos grandes centros financeiros da Europa.

Em Lisboa o BCP perdeu 2,78% para 0,0175 euros. O Montepio derrapou 0,2% para 0,508 euros. Melhores notícias da parte do BPI. De resto, a banco liderado por Fernando Ulrich e os CTT foram os únicos títulos no verde. A subir 0,46% para 1,089 euros e 1,05% para 7,010 euros, respetivamente.

Na energia um cenário semelhante. Com o petróleo em queda desde a semana passada, a Galp derrapou 3,64% para 11,52 euros. A EDP caiu 2,54% para 2,568. A Renováveis desvalorizou 3,18% para 6,397 euros e a Ren desceu 1,60% para 2,464 euros.

O setor continua muito penalizado com o fato do petróleo prolongar as perdas do final da semana passada e estar a negociar abaixo dos 47 dólares por barril em Londres e dos 46 dólares em Nova Iorque.  

No mercado da moeda a libra continua sem descolar dos minimos.