A NOS cai 1,28% e está a ditar o rumo negativo do principal índice português desde a abertura.

O PSI20 perde 0,52% para 4.673,81 pontos e acompanha o sentimento no resto da Europa, com os investidores muito atentos ao que pode emergir da reunião anual de Jackson Hole, nos Estados Unidos, marcada para amanhã. Será neste simpósio, que existe desde 1978 e onde marcam presença os presidentes dos bancos centrais dos vários países, ministros das Finanças e académicos de todo o mundo, que a presidente da Reserva Federal norte-americana, Janet Yellen, vai falar. Um discurso muito aguardado, tendo em que conta que poderá ser este, finalmente, o momento em que Yellen levanta o véu sobre uma subida de juros na maior economia do mundo – já em setembro ou até final de 2016.

Voltando a Lisboa, o sinal da NOS não é o único a penalizar o índice, segue-a a Mota-Engil. A construtora, que apresenta resultados semestrais na próxima terça-feira, está em queda de 1,36% para 1,668 euros.

Na banca o cenário também é pouco famoso. O BCP continua a ser puxado para baixo pelo fato de ter anunciado que a revisão da composição do índice DJ Stoxx600 leva o banco liderado por Nuno Amado a sair do mesmo, o que obviamente lhe retira uma das montras de exposição aos potenciais investidores na Europa.

Quem pode ser muito penalizado na sessão de hoje é o Montepio. Depois de ontem, e tal como a TVI tinha noticiado, ter apresentado prejuízos semestrais de 67,6 milhões de euros no primeiro semestre de 2016, face às perdas de 29 milhões há um ano. O banco justifica o acentuar dos prejuízos com fortes custos de reestruturação e contribuições para os fundos de resolução europeu e nacional.

Na energia o pior sinal é da EDP Renováveis, que desvaloriza 0,66% para 7 euros.