A semana começou com moderado otimismo  nas bolsas europeias. No arranque, só Londres destoava, mas rapidamente para o lado dos ganhos, subindo mais de 0,4%. Lisboa, que fechou a perder na sexta-feira, tinha a segunda maior valorização europeia na primeira meia hora de negociações, trepando 0,8% para 4.598,21 pontos.

Entre os títulos do PSI20, a maior subida em percentagem cabia à Mota-Engil (1,7% para 1,71 euros), apesar do baixo volume de ações negociadas, cerca de 15 mil.

Na banca, nota positiva para BCP e BPI: o primeiro a recuperar 1,5% do seu valor, mas ainda abaixo dos 2 cêntimos por título (0,0196 euros); o segundo a ganhar 0,6% para 1,133 euros, acima do preço da OPA oferecida pelo CaixaBank.

Depois, nota ainda para a Sonae, com cada ação a valer mais 0,8% para quase 65 cêntimos.

Esta segunda-feira será um dia de expectativa, porque há apresentação de resultados nos Estados Unidos. Começamos com o Bank of America e empresas tecnológicas. Ao longo da semana, serão conhecidas a contas do Goldman Sachs e Morgan Stanley, entre outros. Dados que têm sempre influência nas negociações do lado de cá do Atlântico.

Na quinta-feira, o foco passará bastante para a Europa, porque há reunião do Banco Central Europeu, a primeira depois dos resultados do referendo britânico favoráveis ao Brexit.