As bolsas europeias - e Lisboa também acompanha - iniciaram a semana em alta, ainda animadas com a decisão do BCE de cortar as taxas de juro e reforçar os estímulos à economia da zona euro. 

Esta será, de resto, uma semana recheada de outras reuniões de política monetária. Os investidores estarão atentos às reuniões dos bancos centrais dos Estados Unidos, Reino Unido e japão.

Em Portugal, a decisão da Standard & Poors sobre o rating de Portugal - que será conhecida na sexta-feira –poderá gerir as expectativas dos investidores. Uma decisão que, é de recordar, será tomada já depois de conhecido e aprovado o orçamento do estado para este ano.

No arranque de negociações desta semana, o PSI20 avançou para os 1% de ganhos logo na primeira meia hora da sessão.

O BCP protagonizava um dos maiores ganhos da sessão, depois de já na sexta-feira ter disparado 13%. Antes das 09:00 de hoje, ganhava mais de 4%, roçando os 0,46 euros por ação. 

Já o BPI, embora com menor fôlego, também avançava quase 1,7% para os 1,26 euros por título.

As taxas do BCE e o negócio dos bancos. Perceba esta lógica

No setor da energia, o sentimento estava pouco definido ao início da manhã, com a Galp e a REN a valorizarem inicialmente – 0,2% cada, para 10,72 euros e 2,71 euros, respetivamente. No entanto, pouco depois a Galp Energia inverteu, perdendo quase 0,8% para 10,60€, à semelhança da EDP, que caía 1% para os 2,945 euros por ação.

O setor está à espera do relatório mensal da organização dos Países Produtores do Petróleo sobre o mercado petrolífero que será conhecido precisamente esta segunda-feira. Isto depois de, na semana passada, a Agência Internacional de Energia ter defendido que os preços do petróleo não deverão renovar mínimos históricos. 

Na agenda, para esta semana, estão ainda os resultados dos CTT (na terça-feira), da Sonae (na quarta) e da REN (na quinta-feira).