A esmagadora maioria das bolsas europeias arrancou a perder esta terça-feira, seguindo o fecho negativo dos mercados asitáticos. Os investidores estão a optar pela tomada de lucros. Isto apesar das expectativas de que os bancos centrais dos países aumentem os estímulos às economias de forma a lidar com o Brexit. Depois de ontem ter contrariado o pessimismo europeu, Lisboa hoje acompanha.

O índice de referência PSI20 está então a desvalorizar 0,36% para 4.476,73 pontos. A impedir maiores perdas está o disparo da Pharol, acima de 6% para 12,3 cêntimos.

Certo é que Lisboa está a ser penalizada sobretudo pelo setor da energia. A Galp cai 0,6% para 12,415 euros. O petróleo também recua 1,5% nos mercados internacionais, com o Brent londrino, que serve de referência para Portugal, a regressar ao patamar dos 49 dólares. As ações da petrolífera portuguesa estão a ressentir-se. A EDP também está no vermelho, caindo 0,3% para 2,791 euros.

A Sonae recua 0,6% para 0,692 euros, bem como o BCP, cerca de 0,5%, ainda abaixo dos 2 cêntimos (0,0184 euros), embora a negociação esteja muito volátil. O setor financeiro vai continuar sob escrutínio neste ambiente de incerteza provocado pelo Brexit. Ainda ontem foi a queda dos bancos italianos que arrastou a Europa.

Paris lidera o pessimismo europeu, ao perder já mais de 1%. Curiosamente, Londres foi a única praça europeia que arrancou a subir, mas inverteu pouco depois. Hoje é apresentado pelo Banco de Inglaterra o Relatório de Estabilidade Financeira do Reino Unido.