Parecia uma sexta-feira diferente para as ações do BCP mas o fato é que depois de um ganhou superior a 2% na abertura já perde 2,6% para 0,0253 euros, o valor mais baixo de sempre do título do banco.

Uma queda que o BPI não acompanha ao subir 0,26% para 1,157 euros.

Nos primeiros minutos da sessão os analistas ainda acreditaram que o banco liderado por Numo Amado podia ajudar a suportar os ganhos do índice português. O PSI20 abriu a ganhar 0,5% para 4.874.47 pontos, a acompanhar a tendência em toda a Europa.

Uma reação em alta que pode estar relacionada também com o fato de ontem o Banco Central Europeu ter revisto para cima as perspetivas de crescimento para a economia e para inflação este ano. Mesmo assim, o conselho da instituição liderada por Mário Draghi manteve a taxa juro diretora inalterada em terreno negativo, comprometendo-se com os estímulos monetários em curso.

Para o BCE, a zona euro deve agora crescer 1,6% em 2016, contra 1,4% previstos em março e a inflação pode chegar aos 0,2%, face aos 0,1% da anterior previsão.

Em Lisboa, é a energia que ajuda o principal índice português. A Galp valoriza 1,25% para 11,795 euros. A EDP cresce 0,65% para 2,95 euros, a Renováveis ganha 0,43% para 6,960 euros e a REN avança 0,03% para 2,625 euros. Ontem na reunião dos países exportadores de petróleo (OPEP) em Viena, a Arábia Saudita prometeu não inundar o mercado de petróleo com mais barris de crude apesar da organização não terem chegado a acordo, com o Irão a insistir que tem o direito de aumentar substancialmente a produção, noticia a Reuters. A matéria-prima, mesmo assim está em alta, tanto o Brent em Londres como crude no Nymex em Nova iorque.

Nota positiva, ainda no PSI20, a Pharol que ganha 1,97% para 0,155 euros.

Nota negativa para a Nos que recua 0,13% 6,489 euros, a Altri que desce 1,38% 3,213 euros e a Semapa a perder 0,16% para 0,594 euros.