O ministro das Infraestruturas e Planeamento, Pedro Marques, disse esta terça-feira que o Governo não abolirá as atuais portagens, mas admitiu a introdução de descontos nas autoestradas do interior.

"Não está em cima da mesa do Governo a possibilidade de abolir portagens, mas procuraremos favorecer a mobilidade para o interior, eventualmente tornando mais eficiente essa mobilidade para as pessoas e para as mercadorias", afirmou, em declarações aos jornalistas, citado pela Lusa.


Falando após a visita que efetuou às obras do túnel do Marão, na A4, entre Amarante e Vila Real, o ministro avançou que o Governo está a estudar medidas para compensar o interior ou zonas onde não haja alternativas de mobilidade de qualidade, que vão ser "apresentadas brevemente", admitindo que o modelo poderá passar pela introdução de descontos.

Pedro Marques explicou que o Governo não pode garantir a abolição completa das portagens, porque "é preciso também dar sustentabilidade do modelo de financiamento das infraestruturas" e frisou que está em cima da mesa do Governo a possibilidade de avançar com medidas de natureza fiscal e de apoio ao investimento para favorecer o desenvolvimento do interior.

Questionado pela Lusa sobre a possibilidade de serem introduzidas novas portagens na A3 e na A4, no Grande Porto, garantiu não estar nas suas prioridades a criação de novas portagens, incluindo na região do Porto.