As organizações que representam os trabalhadores das empresas públicas do setor dos transportes e comunicações marcaram esta quinta-feira uma «semana de luta», que decorrerá entre os dias 05 e 11 de outubro, disse à Lusa fonte sindical.

A decisão foi tomada numa reunião que decorreu em Lisboa, para definir medidas de «resposta» ao Regime Jurídico do Setor Empresarial Público, bem como à lei n.º59/2013, que estabelece um regime de prestação de informação sobre remunerações, suplementos e outras componentes remuneratórias dos trabalhadores de entidades públicas.

«O que decidimos hoje foi desenvolver, entre 05 e 11 de outubro, um conjunto de lutas nas diversas empresas do setor dos transportes e comunicações», afirmou à Lusa o coordenador da Federação dos Sindicatos de Transportes e Comunicações (Fectrans), José Manuel Oliveira.

Caberá agora às organizações que representam os trabalhadores definirem as ações que serão desenvolvidas em cada empresa, sendo já certo que a semana de luta arrancará no dia 05 de outubro, com iniciativas destinadas a assinalar «o segundo feriado em que se está a trabalhar de borla».

Em causa está a retirada do feriado que assinalava a implantação da República.

A semana de protestos terminará no dia 11 de outubro com uma «grande vigília» junto ao Ministério da Economia, em Lisboa, adiantou ainda o sindicalista.

Os trabalhadores do Metropolitano de Lisboa já fizeram saber que vão cumprir uma greve de 24 horas em outubro e contam entregar um pré-aviso para uma paralisação no dia em que for promulgada a lei do Regime Jurídico do Setor Empresarial Público.