Os portugueses deverão gastar entre 100 e 300 euros nos saldos de verão, revela um estudo exploratório realizado pelo IPAM ¿ The Marketing School. Roupa, sapatos e livros são os artigos mais comprados durante os saldos de verão. Este ano, 55% dos inquiridos vão gastar menos que em igual período de 2012.

«A crise não deve inibir os portugueses de abrirem os cordões à bolsa durante a época de saldos. Pelo contrário. Quase metade dos consumidores (48%) deve gastar entre 100 a 300 euros em compras durante o período de promoções e de saldos de verão que têm oficialmente início no próximo dia 15 de julho», conclui o estudo, que procura analisar o comportamento dos consumidores face às promoções e saldos. Apesar disso, a maioria dos inquiridos (55%) admite que deverá gastar menos do que em igual período do ano anterior.

A esmagadora maioria dos inquiridos (89%) confessa que aproveita o período de promoções e pelos saldos para efetuar compras. 86% dos inquiridos que têm este hábito, justificam-no com os preços apelativos.

Apenas 8% confessam que não adquirem artigos durante o período de saldos e promoções. A falta de qualidade dos produtos disponíveis é, a par da confusão característica, outra das razões mais apontadas para não comprar durante a época de saldos.

Os artigos de vestuário são os mais procurados pelo consumidor nos saldos. Roupa (41%) e sapatos (28%) estão no topo das prioridades de compra, seguidos pelos livros (12%) e pelos perfumes (10%).

O estudo mostra ainda que quase metade das compras (47%) efetuadas durante os saldos e as promoções destinam-se a quem as faz. Mais de um quarto dos artigos adquiridos neste período do ano são para os filhos.