O CDS-PP desafiou esta quinta-feira a esquerda parlamentar a levar a votos os Programas de Reformas e Estabilidade do Governo. Os democratas-cristãos vão apresentar um projeto de resolução com medidas alternativas.

"Nós apresentaremos as nossas propostas no Plano Nacional de Reformas, não temos nenhum problema, antes pelo contrário, e iremos fazer com que sejam discutidas e votadas"

As declarações são do líder parlamentar do CDS-PP, Nuno Magalhães, são citadas pela Lusa, e foram proferidas durante uma conferência de imprensa realizada no parlamento.

Lembrando que PS, BE, PCP e PEV "num passado bem recente" sempre exigiram que os Programas de Reformas e Estabilidade fossem a votos, Nuno Magalhães disse não querer acreditar que, coerentemente com a sua posição anterior, "não façam o mesmo ao Plano Nacional de Reformas e ao Plano de Estabilidade que é deste Governo que apoiam".

A propósito do Plano Nacional de Reformas, o PSD vai avançar com um conjunto de recomendações ao Governo, o que indica uma mudança de estratégia política, uma vez que o partido se absteve de apresentar alternativas ao orçamento do Estado para este ano. Esta mudança de postura foi vista com bons olhos pelo Presidente da República.