«Não acredito que a TAP vai ser vendida. E não vislumbro em nenhum candidato o parceiro ideal» para a companhia portuguesa, declarou.


«Depois vêm dizer que os chineses vêm tomar conta disto e o que é que isso interessa? Nós não precisamos de dinheiro? Eles têm coisas ótimas para nós e nós muitas coisas boas para eles», lançou.












«Estive lá 16 anos. Conheci pelo menos oito ministros dos Transportes. Passados 23 anos, a TAP continua à venda», disse o deputado pelo CDS na assembleia municipal de Cascais, realçando que o adiamento da venda pode ser fatal para a companhia liderada por Fernando Pinto.


«Temos que vender, mas não pode ser a qualquer um. E, se não houver nenhum [comprador], não vendemos. É preciso responsabilizar toda a gente e também os senhores dos sindicatos. Porque se não acontecer a companhia morre. Não vejo outra saída», concluiu.