Os dois principais concorrentes na corrida à privatização da TAP poderão entrar, nos próximos dias, num embate jurídico, escreve o Sol.

Germán Efromovich, que tem dupla nacionalidade (colombiana e polaca), está preparado para contestar junto das autoridades portuguesas e europeias, caso o consórcio de David Neeleman apresente fragilidades quanto à nacionalidade dos respetivos investidores.

As leis comunitárias impedem que as companhias aéreas europeias tenham mais de 49% do capital em mãos de donos não europeus, o que será o caso de Neeleman, que é brasileiro-americano, se avançar através da sua holding pessoal não-comunitária, sediada nos Estados Unidos da América e com fundos estrangeiros.

Termina esta sexta-feira às 17:00 o prazo para os candidatos apresentarem propostas vinculativas. Esta quinta-feira o ministro da Economia, Pires de Lima, disse que queria ter o vencedor escolhido até ao final do mês.