Miguel Pais do Amaral está na corrida para a privatização da TAP. O charmain da Prisa, grupo espanhol ao qual pertence a TVI, juntou-se ao norte-americano Frank Lorenzo, antigo acionista da Continental Airlines, para apresentar uma proposta de compra de 100% da companhia aérea portuguesa.

Em entrevista ao Dinheiro Vivo, Pais do Amaral afirma que o projeto não tem como objetivo a venda da companhia aérea daqui a três ou quatro anos.

«O nosso projeto não passa por comprar hoje e vender daqui a três ou quatro anos. A nossa proposta passa por formar um núcleo investidor que siga a estratégia presente da companhia aérea portuguesa, que tem sido uma estratégia de sucesso e de crescimento», afirmou.

O projeto passa antes por fazer um IPO (initial public offer, na sigla em inglês), que significa pôr em bolsa.

«O objetivo será, isso sim, fazer o IPO. Achamos que a empresa tem dimensão para isso, é uma boa empresa, tem um bom track record, um bom management e merece ser olhada e apreciada», declarou.

Pais do Amaral acredita que uma gestão privada traz mais eficiência à TAP, embora considere que a transportadora «já é bastante eficiente».

Lembrou que a companhia aérea «neste momento, não tem capacidade de investimento», mas que se vier a ter poderá possuir «uma frota que consuma menos e, dessa forma, aumentar as margens e diminuir os custos».

O empresário acredita que existem condições para que a privatização aconteça ainda durante esta legislatura.

Pilotos da TAP anunciam greve a 9 de agosto.