O secretário de Estado dos Transportes, Sérgio Monteiro, afirmou esta quinta-feira que o relatório preliminar do concurso à subconcessão da Carris e do Metro de Lisboa será conhecido sexta-feira, considerando tratar-se de um resultado "muito vantajoso" para as empresas.

"Amanhã de manhã [sexta-feira] será disponibilizado o relatório preliminar e o resultado, do ponto de vista financeiro, é muito vantajoso para ambas as empresas", disse o secretário de Estado, sem avançar detalhes.

Falando em conferência de imprensa após a reunião semanal do Conselho de Ministro, o membro do Governo assegurou que, através desta subconcessão, haverá "a eliminação integral das indemnizações compensatórias" e que não haverá aumento do preço dos bilhetes. "O valor dos bilhetes só pode aumentar [indexado] à taxa de inflação, a cada ano", disse.

O presidente da Câmara de Lisboa anunciou na terça-feira que a autarquia irá apresentar esta semana as ações principais que estão na base das providências cautelares interpostas para travar os concursos de subconcessão do Metro e da Carris.

O Tribunal Administrativo de Lisboa aceitou, em maio, duas providências cautelares interpostas pelo município para travar os concursos de subconcessão. Mas, como a Carris e o Metropolitano entregaram ao Tribunal Administrativo uma "resolução fundamentada" no interesse público, os concursos deixaram de estar suspensos.

Cinco candidatos às subconcessões do Metro de Lisboa e da Carris


Na segunda-feira, o secretário de Estado dos Transportes, Sérgio Monteiro, anunciou que cinco candidatos apresentaram propostas para as subconcessões do Metropolitano de Lisboa e da Carris, das quais três são conjuntas às duas empresas.

Apresentaram uma proposta conjunta a transportadora parisiense RATP (Régie Autonome des Transports Parisiens), a britânica National Express e a espanhola Avanza.

Na Carris estão interessados ainda a Barraqueiro - que faz parte do consórcio que recentemente venceu o concurso para a privatização da TAP - em conjunto a TCC (Transports Ciutat Comtal), que integra o consórcio que venceu o concurso público para a subconcessão da STCP, transportes públicos do Porto. Para a gestão do Metro de Lisboa candidatou-se ainda a francesa Transdev. De fora desta subconcessão fica a Carristur, empresa dedicada ao turismo detida pela Carris.