O primeiro-ministro aceitou receber a CGTP na próxima segunda-feira, 30 de junho, a pedido da central sindical, revelou Arménio Carlos.

O secretário-geral da Intersindical que falava na sessão de encerramento do Plenário de Sindicatos da CGTP, a decorrer na Voz do Operário, em Lisboa, revelou que o encontro, a pedido da CGTP, servirá para discutir com o chefe do Governo o aumento do salário mínimo nacional, a contratação coletiva e a reforma do Estado.

A reunião está marcada para as 10:30 de segunda-feira, em São Bento.

A CGTP pediu também reuniões a todos os partidos da oposição, com assento na Assembleia da República, estando já algumas marcadas, segundo o sindicalista.

O Plenário de Sindicatos da CGTP decidiu agendar para esta tarde, uma marcha de protesto rumo à Assembleia da República, logo após o encerramento da sessão, pelo secretário-geral.

A chegada ao Parlamento está prevista para as 16:30.

O Plenário Nacional de Sindicatos da CGTP serviu para discutir as alterações da legislação laboral relativas à contratação coletiva e decidir ações de luta para lhes dar resposta.

A central sindical pretende impedir a aprovação na Assembleia da República das novas alterações ao Código do Trabalho que irão prorrogar até ao final do ano a redução do valor pago pelo trabalho extraordinário e reduzir os prazos de caducidade e sobre vigência das convenções coletivas.

Para 10 julho, a CGTP tem já marcada uma manifestação de protesto com objetivo de tentar impedir a aprovação na Assembleia da República das novas regras para a contratação coletiva.