O Estado português atribuiu cerca de 309 mil prestações de desemprego em outubro, deixando sem estes apoios mais de 392 mil desempregados, segundo dados divulgados esta sexta-feira pela Segurança Social.

De acordo com os últimos números disponibilizados na página da Segurança Social, em outubro existiam 309.679 beneficiários de prestações de desemprego, menos 13.516 indivíduos, o equivalente a 55,8% do último número total de desempegados contabilizados pelo Eurostat.

De acordo com os últimos dados divulgados a 21 de outubro pelo Eurostat, a taxa de desemprego em Portugal voltou a descer em setembro, para 13,6%, abaixo dos 13,9% de agosto e menos 2,1 pontos percentuais do que os 15,7% de há um ano. Falta ainda conhecer os dados referentes ao mês de outubro.

Os números da Segurança Social incluem o subsídio de desemprego, subsídio social de desemprego inicial, subsídio social de desemprego subsequente e prolongamento do subsídio social de desemprego, prestações que atingiram em outubro o valor médio de 466,22 euros, face aos 487,03 euros observados um ano antes.

O Porto é o distrito cujo número de beneficiários com prestações de desemprego foi mais elevado em outubro último, tendo sido atribuídos subsídios a 68.154 desempregados.

Seguem-se os distritos de Lisboa (62.809), de Setúbal (27.088) e de Braga (26.328).

Do total de 309.679 beneficiários, 158.792 são homens e 150.791 são mulheres, de acordo com os dados publicados no site da Segurança Social.

A taxa de desemprego em Portugal voltou a descer em setembro, para 13,6%, segundo o Eurostat, abaixo dos 13,9% de agosto e menos 2,1 pontos percentuais do que os 15,7% de há um ano.