António Ramalho assume, a partir desta segunda-feira, 1 de agosto, o cargo de presidente do conselho de administração do Novo Banco, um dia depois de divulgados os prejuízos da instituição no primeiro semestre, que aumentaram para 362,6 milhões de euros.

O novo líder do banco que surgiu da resolução do BES, em agosto de 2014, sucede a Eduardo Stock da Cunha que, como previsto, regressa ao Lloyds Bank.

António Ramalho foi presidente do conselho de administração da Infraestruturas de Portugal e do conselho de administração da Unicre.

Foi também membro do conselho de administração executivo do Banco Comercial Português.

Ora, precisamente o presidente do BCP, Nuno Amado, confirmou na sexta-feira que o banco não fez uma oferta pelo Novo Banco, mas que apresentou uma carta de interesse, não explicando se está interessado na instituição no seu todo ou apenas em alguns ativos e passivos.

Numa das últimas entrevistas que deu, Stock da Cunha admitiu a dificuldade em descobrir os créditos ocultos da altura do Banco Espírito Santo, falou sobre o que conseguiu fazer e o que ainda é preciso concluir: "Ainda falta limpar bastante" da má herança do BES, reconheceu. Seja como for, acredita que a instituição pode ser vendida com sucesso e voltar a dar lucro em 2018.