O prejuízo da Caixa Económica Montepio Geral agravou-se em 30%, para 243,4 milhões de euros no ano passado, informou o banco num comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários. 

 O banco fez um aumento de capital de 300 milhões de euros, totalmente subscritos pela Associação Mutualista, com o presidente do Montepio a dizer que uma abertura do capital ao exterior será equacionada "quando for oportuno".

Segundo a informação divulgada pelo Montepio, se fosse considerado o impacto deste recente reforço de capital à data de 31 de dezembro de 2015, o banco ficaria com um rácio de capital ‘common tier 1' nessa altura de 10,9%, acima dos 8,8% apresentados no final do ano passado.

O presidente do banco mutualista, Félix Morgado, que substituiu Tomás Taveira no verão passado, disse em declarações à Lusa que esta operação de reforço dos fundos próprios tem como objetivo "sustentar o crescimento do produto bancário", um dos objetivos estratégicos para este ano que a equipa diretiva quer que seja feito através de um reforço do negócio, nomeadamente do aumento da concessão de crédito a Pequenas e Médias Empresas (PME) e a empresários individuais.

No comunicado enviado à CMVM, refere-se que "o resultado líquido no final de 2015 influenciado pelo menor contributo dos resultados gerados na venda da carteira de dívida pública (menos 279 milhões de euros do que em 2014) e pela descida das imparidades"


Ora, as imparidades de crédito líquidas de reversões e recuperações desceram 50,7% para 258,4 milhões, as imparidades para outros activos financeiros caíram 75% para 15,6 milhões e
as imparidades para outros activos não financeiros aumentaram 91% para 88,5 milhões de euros.

No final de 2015, "os depósitos de clientes mantiveram-se como a principal fonte de financiamento, representando 61,3% do total das fontes de financiamento".

Segundo o Montepio, a subida de 3,3% nos depósitos durante o quarto trimestre de 2015 teve como suporte o aumento de 5,1% nos depósitos a prazo e de poupanças.


Em simultâneo, assistiu-se a uma redução de 9,4% na exposição ao Banco Central Europeu (BCE), ou seja 234,6 milhões de euros. 


O comunicado realça, por outro lado, a "desalavancagem dos ativos imobiliários com saldo positivo, pela primeira vez desde 2012".

Duas centenas de trabalhadores saem este mês do banco

Cerca de 200 trabalhadores vão sair do Montepio já este mês no âmbito do programa de pré-reformas do banco, que também fechou 40 agências já este ano.

A redução de custos e o aumento de eficiência da Caixa Económica Montepio Geral faz parte do processo de reestruturação que está a levar a cabo o Conselho de Administração executivo, que passa por uma diminuição da rede de agências e do número de trabalhadores.