A operação da Caixa Geral de Depósitos (CGD) em Espanha registou perdas de 112,5 milhões de euros, impedindo que a atividade internacional oferecesse um contributo positivo para os resultados do banco público nos primeiros nove meses do ano.

«Os custos associados ao plano de reestruturação em curso em Espanha e o elevado registo de imparidades naquele país traduzem-se num contributo negativo para o resultado da área internacional de cerca de 48,9 milhões de euros», revelou hoje à agência Lusa o banco presidido por José de Matos.

Segundo a CGD, «excluindo Espanha, este resultado seria positivo de 61,4 milhões de euros». Já entre janeiro e setembro de 2012 a operação em Espanha tinha registado perdas acima de 60 milhões de euros, ainda assim, muito menores do que as agora verificadas.