O preço das casas teve a maior subida dos últimos dois anos, entre janeiro e março, mas isso não impede a capital de portuguesa de assinalar o melhor desempenho desde 2010 na venda destes imóveis. O aumento de 6,9% do Índice de Preços da Habitação (IPHab) é a taxa mais alta verificada desde o último trimestre de 2013, segundo os dados publicados pelo Instituto Nacional de Estatística.

Há 10 trimestres consecutivos que há aumentos. "O IPHab para os alojamentos existentes registou a taxa mais alta da série disponível (7,9%), verificando-se uma evolução homóloga nos preços médios superior à dos alojamentos novos (4,7%), tal como se tem vindo a observar desde o último trimestre de 2014#, refere o INE.

O aumento acontece tanto em termos anuais (a percentagem acima referida), como em relação ao último trimestre de 2015 ( a variação, aqui, é de 1,9%). 

Para além do preço, estes dados reportam também as vendas de casas que foram feitas até março. No total, foram 29.464 casas, 81,3% do total referentes a imóveis já existentes. Só a restante percentagem diz respeito a novos alojamentos. 

"Em valor, nos três primeiros meses do ano, as transações de alojamentos familiares atingiram aproximadamente 3,4 mil milhões de euros".
 

Vendas de casas em Lisboa em máximos de 2010

A Área Metropolitana de Lisboa lidera o ranking de vendas de casas em Portugal. Representa 35,5%, mais de um terço, portanto, dos imóveis transacionados no país, tendo, em percentagem, visto aumentar o número comercializado em 3,7% neste primeiro trimestre. 

Mais: pela primeira vez desde o terceiro trimestre de 2010, o número de transações observado para na capital superou as 10.000 transações.

Quanto a valores, 69,5% do encaixe feito com vendas de imóveis concentrou-se também na Área Metropolitana de Lisboa. Em segundo, vem a Região Norte, que representa 29,6% do total de vendas e 23,3% desse encaixe financeiro.