O prémio médio do seguro automóvel baixou 100 euros nos últimos dez anos, pelo que, face aos sete milhões de veículos com seguro em Portugal, a poupança anual ascende a 700 milhões de euros, segundo a Associação Portuguesa de Seguradores.

Em 2013, o prémio médio por veículo fixou-se nos 225,40 euros, um recuo de 2% face ao valor de 2012, mas muito abaixo dos cerca de 335 euros em que se fixava o prémio médio automóvel em 2003, de acordo com os dados divulgados esta quarta-feira pela entidade que representa as seguradoras que operam em Portugal.

«Este montante representa um recuo de 100 euros face ao valor de há 10 anos, pelo que, em números largos, as famílias portuguesas estão a poupar 700 milhões de euros ao ano», sublinhou Pedro Seixas Vale, presidente da Associação Portuguesa de Seguradores (APS), num encontro com jornalistas em Lisboa.

A descida do preço médio do seguro automóvel deve-se à queda da sinistralidade (quer em termos de frequência, quer de gravidade), que, em parte, está relacionada com o ambiente económico, que leva a uma menor circulação rodoviária, logo, uma menor exposição ao risco.

Mas também «ao aumento da eficiência das seguradoras, ao reforço da monitorização das autoridades e à melhoria na qualidade da condução por parte dos portugueses», realçou Seixas Vale, ao mesmo tempo que apontou para o reforço da capacidade de segurança dos automóveis em circulação, que tem sido promovido pelos fabricantes, como escreve a Lusa.

De resto, a redução dos custos com os seguros do segmento automóvel é uma tendência que se deve estender nos próximos anos a outros ramos da atividade seguradora, de acordo com o presidente da APS, uma situação que se explicará pela maior concorrência no mercado, a par da maior eficiência assegurada pelas companhias de seguros na gestão do negócio.