As Euribor negativas vão ser refletidas nos créditos, mas também nas poupanças.

Já este mês, segundo o Jornal de Negócios, os aforradores viram o indexante reduzir o prémio dos certificados de aforro subscritos há mais de 30 anos. A porta está aberta às restantes séries destes títulos, caso a média da Euribor a três meses fique negativa, mas as taxas nunca poerão ditar uma redução no valor aplicado por cada um dos aforradores.

Se estão apenas em jogo 1236 milhões de euros com a «série A» dos certificados de aforro, o valor aplicado nas restantes versões ascende a 12,5 mil milhões de euros, um montante que pode não dar qualquer retorno aos investidores.

O limite de 0% garante que o retorno destes produtos de poupança nunca poderá ser negativo, uma determinação que vai ao encontro do que está definido pelo Banco de Portugal.