Portugal só vai poder aspirar a sair do atual programa de ajustamento sem qualquer rede de segurança financeira se conseguir acalmar os parceiros da zona euro sobre a firmeza do seu compromisso nacional em torno da estratégia orçamental para os próximos anos.

O sentimento foi captado pelo jornal Público em Bruxelas, junto de diplomatas e responsáveis políticos, numa altura em que o país começa a preparar a saída do programa de assistência.

A questão agora já extravasa as divergência dentro do Governo, o que está a preocupar os responsáveis é a falta de entendimento entre o Executivo e o PS sobre a política orçamental.