Portugal apresentou 43 projetos orçados em mais de 150 milhões de euros, informou o Centro de Promoção de Investimentos (CPI) moçambicano.

Durante os três primeiros meses do ano, e no conjunto de 28 países e um investimento direto estrangeiro global de mais de 263 milhões de euros, o português ultrapassou largamente o das Maurícias, com 33,1 milhões de euros, da África do Sul (26,5 milhões), da China (15,7 milhões) e da Bielorrússia (8,8 milhões), as cinco posições cimeiras da lista de investidores internacionais.

O investimento português aumentou 5,1% face ao ano passado, quando as empresas portuguesas investiram cerca de 124 milhões de euros em Moçambique, ficando atrás das sul-africanas (267,2 milhões de euros) e chinesas (168,1 milhões).

Segundo o CPI, no primeiro trimestre do ano, foram aprovados 125 projetos no valor de mais de 574 milhões de euros.

O setor de Energia recebeu o maior volume de investimento (cerca de 202 milhões de euros), seguido pelo da Indústria (101,5 milhões), Construção e Obras Públicas (67,3 milhões), Serviços (49 milhões), Turismo e Hotelaria (30,2 milhões) e Transportes e Comunicações (9,08 milhões).