O mercado japonês constitui uma «oportunidade única» para os exportadores portugueses, apesar da recessão que a economia do país está a atravessar, disse esta terça-feira no Porto o presidente da Câmara de Comércio e Indústria Luso-Japonesa (CCILJ), refere a Lusa.

«Temos uma oportunidade única de exportar para o Japão. É muito simples. O único constrangimento é ter rótulos em japonês, o que pode ser feito na câmara do comércio ou por um tradutor», afirmou António Paiva Morão, no seminário «Como exportar e como investir no Japão».

António Morão salientou que «as exportações portuguesas para o Japão são diminutas», tendo totalizado 217 milhões de euros em 2008, o que é «três décimas de milésimas dos 755 biliões de euros que o Japão importa anualmente».

«São números astronómicos», frisou, acrescentando que o mercado japonês das tecnologias de informação representa «um trilião de dólares», os negócios ligados ao ambiente «400 biliões de dólares» e a biotecnologia «200 biliões de dólares».