O Índice de Preços no Consumidor (IPC) em Portugal teve uma queda mensal de 0,1% em Maio de 2014, devido à descida do preço dos transportes, dos bens alimentares e das bebidas não alcoólicas, segundo o Instituto Nacional de Estatística (INE).

«A classe com maior contributo negativo para a taxa de variação mensal do índice total foi a dos Transportes, com uma variação de -1,1 %, seguida da classe dos Produtos alimentares e bebidas não alcoólicas, com uma variação mensal de -0,4%», referiu o INE.

«O contributo positivo mais expressivo para a taxa de variação mensal do índice total foi determinado pelo índice da classe dos Restaurantes e hotéis, com uma variação mensal de 1 pct, superior em 0,5% à taxa observada em igual mês do ano anterior», acrescentou.

O INE adiantou que a inflação homóloga se fixou em -0,4% e a média anual em 0,1%.

Excluindo a energia e os bens alimentares não transformados, a taxa de variação homóloga da inflação foi nula em Maio último face a 0,1% no mês anterior.

Apesar da elevada dose de austeridade que Portugal teve de adotar após ter pedido um resgate externo em Maio de 2011, o Governo vê a economia crescer 1,2%, em 2014, após as contrações de 1,4% em 2013 e 3,2% em 2012 - a maior recessão em 30 anos.