O presidente da Comissão Europeia disse esta sexta-feira, em Riga, acreditar que 2014 será o ano de superação da crise, desde que não haja «erros políticos», e apontou a título de exemplo as «indicações muito boas» vindas de Portugal.

Falando numa conferência de imprensa conjunta com o primeiro-ministro letão e com o presidente do Conselho Europeu, por ocasião de uma visita a Riga para assinalar a adesão da Letónia ao euro, José Manuel Durão Barroso disse que no ano passado as nuvens já começaram a dissipar-se e, «se não houver erros políticos», uma ressalva que fez questão de sublinhar, afirmou-se convicto de que «este será o ano» em que a Europa vai «virar a página da crise».

«A Irlanda foi o primeiro país da zona euro a emergir com sucesso de um programa de ajustamento económico acordado com UE e FMI. E agora vemos muito boas indicações relativamente a Portugal e relativamente à Espanha», também de saída do seu programa de assistência aos bancos, e em termos gerais houve «uma evolução muito boa» ao nível da dívida soberana dos chamados países da periferia, assinalou.