O Millennium bcp estima que o Produto Interno Bruto  de Portugal tenha crescido 0,6% no segundo trimestre de 2015, face aos três meses anteriores, apoiado numa melhoria das exportações líquidas, com o acelerar do crescimento na Europa dado o baixo preço do petróleo e das taxas de juro.

Em termos homólogos, a previsão aponta para uma expansão do produto de 1,6% no período, em linha com ritmo de crescimento previsto pelo Governo para o conjunto do ano de 2015, contudo, é o valor mais alto desde o terceiro trimestre de 2010.

"Esta melhoria, a confirmar-se, desenrola-se num quadro de crescimento sustentado da atividade económica europeia, baixos níveis do preço do petróleo e das taxas de juro, bem como de recuperação robusta do mercado de trabalho nacional", explicou José Brandão de Brito, numa nota.

O Instituto Nacional de Estatística anunciou esta quarta-feira que a taxa de desemprego em Portugal desceu para o mínimo desde o final de 2010, fixando-se em 11,9% no segundo trimestre de 2015.

O economista-chefe do Millennium bcp realçou que, "em termos das principais componentes da procura, é esperada uma marcada redução do contributo negativo das exportações líquidas e uma ligeira perda de dinamismo do consumo e, também, do investimento".

No primeiro trimestre de 2015, o PIB cresceu 0,4% em cadeia face ao quarto trimestre de 2014, tendo crescido 1,5 pct contra o mesmo período do ano passado.

"Caso este cenário se verifique, o efeito de 'carry-over' fixar-se-á em 1,4 pct, ligeiramente abaixo da projeção do Orçamento de Estado de 2015", frisou.

O efeito de 'carry-over' corresponde à taxa de crescimento do PIB no conjunto do ano, assumindo que o valor do PIB se manteria constante nos trimestres que faltam para completar o ano.

O Montepio prevê um crescimento entre 0,4 e 0,5 pct do PIB e o Santander Totta estima um aumento do produto de 0,7 pct, entre Abril e Junho de 2015. (Full Story) (Full Story)

O Instituto Nacional de Estatística divulga a estimativa rápida do PIB de Portugal a 14 de Agosto.