Os sindicatos dos Trabalhadores do Grupo Portugal Telecom (STPT) e Nacional dos Trabalhadores das Telecomunicações e Audiovisual (SINTTAV) denunciaram esta sexta-feira que os funcionários da operadora «estão a ser convidados a negociar a rescisão» do contrato de trabalho.

Num comunicado conjunto, as duas estruturas sindicais manifestam-se «em total desacordo com a posição da empresa e exigem que os trabalhadores sejam colocados noutras empresas do grupo e, se necessário, lhes seja ministrada formação específica para novas funções», adiantando que esta posição «está já apresentada à gestão da empresa».

Os sindicatos, que se reuniram no passado dia 29 de outubro, apontam que no encontro ficou decidido «elaborar um abaixo-assinado a enviar ao presidente [da PT Portugal] Armando Almeida, depois de assinada pelos trabalhadores da PT - ACS» e que será agendada uma reunião para a próxima semana.

O convite aos trabalhadores para rescindirem, adiantam os sindicatos, «está a mexer com a vida profissional, pessoal e familiar» dos funcionários, «provocando no seio dos mesmos intranquilidade, insegurança e nalguns casos desespero e mesmo revolta».

Para as estruturas sindicais, os trabalhadores da PT «não podem ser tratados como descartados, porquanto têm capacidade intelectual para receber formação e assumirem novas funções».