A administração da Portugal Telecom (PT) e os sindicatos subscreveram na segunda-feira o Acordo Coletivo de Trabalho (ACT), pondo fim a anos de negociação e com cláusulas que beneficiam os trabalhadores mais jovens do grupo.

“Temos consciência que obtivemos um resultado final limitado, mas que em contrapartida não gerou situações de maior constrangimento dos direitos, atualmente, consignados no ACT”, disse hoje o presidente da direção do Sindicato dos Trabalhadores do Grupo Portugal Telecom (STPT), Jorge Felix, à agência Lusa.

A negociação do ACT foi interrompida em 2013 e retomada em maio deste ano, depois da compra, no ano anterior, da empresa pelo grupo francês Altice.