O leilão de produtos apreendidos ou abandonados nas alfândegas portuguesas passará a ser feito de forma virtual e permanente até ao final de 2009.

A alteração vai agilizar e dar maior transparência e exposição pública ao processo de venda destas mercadorias, diminuindo as despesas de armazenamento e aumentando as receitas do Estado, avança o «Jornal de Negócios».

«Cada lote terá um prazo para que as pessoas apresentem ofertas, o que quer dizer que todos os dias se pode fechar um leilão», resumiu o director dos Serviços de Gestão Financeira, Carlos Broega.

Isso significa que, carros, iates, biquinis e diamantes passam a poder ser comprados online daqui a dois anos.