O governador do Banco de Portugal, Vitor Constâncio, já foi escolhido pelos ministros das Finanças da área do euro para vice-presidente do Banco Central Europeu (BCE).

Na reunião desta segunda-feira, o Ecofin escolheu o governador português para substituir o grego Lucas Papademos como número dois de Jean-Claude Trichet.

Constâncio candidata-se a aumento salarial de 3.700 euros

Constâncio assumirá o cargo a partir de 01 de Junho, segundo fontes comunitárias citadas pela Lusa. O governador do Banco de Portugal deixa para trás, na corrida ao lugar, o governador do Banco Central do Luxemburgo, Yves Mersch, e o director do Banco Central da Bélgica, Peter Praet.

Constâncio no BCE: o que dizem os economistas

Sócrates e ministro das Finanças orgulhosos de Constâncio

Quem pode substituir Constâncio no Banco de Portugal

Segundo regras não escritas mas aceites por todos os Estados-membros da União Europeia, dos seis lugares do conselho executivo do BCE, quatro são preenchidos pelos grandes Estados-membros da Zona Euro (Alemanha, França, Itália e Espanha), o que obriga os restantes membros a partilharem, por rotação, os dois outros cargos (vice-presidente e vogal).

Entre os países fundadores do euro, apenas Portugal, Bélgica, Luxemburgo e Irlanda ainda não integraram o comité executivo do BCE, não tendo a Irlanda apresentado qualquer candidato.

Agora, o nome de Constâncio terá ainda de receber um «parecer» não vinculativo do Parlamento Europeu, antes de ser definitivamente aprovado pelos chefes de Estado e de Governo reunidos em Bruxelas a 25 e 26 de Março próximo.